RaioX Gastronomia

Restaurante “O TACHO” abre as portas em Belo Horizonte e apresenta a legítima dozinha mineira caipira

Mariana Gontijo e Igor Fernandes - Foto Daniel Chico

A valorização da gastronomia mineira e da cultura caipira já faz parte do DNA da chef Mariana Gontijo, que é conhecida por estar à frente do Roça Grande (BH) e é considerada um dos grandes nomes do cenário gastronômico atual de Minas Gerais. A partir de agora, o público de Belo Horizonte tem a oportunidade de mergulhar na cultura alimentar caipira em outro restaurante comandado pela chef: O Tacho.

Diferente do Roça Grande, que serve Prato Feito e uma opção por dia, O Tacho vem com um menu completo, à la carte, com sete opções de entrada, sete de pratos principais e quatro sobremesas. A iniciativa envolve três sócios, Mariana Gontijo, Igor Fernandes e Maria Celeste. “Quem já conhece o Roça Grande vai se sentir como se O Tacho fosse o caipira em roupa de domingo. E é isso mesmo, o Roça nasceu no interior, em Moema, junto comigo, mas o Tacho nasceu dentro do Roça”, explica a chef Mariana Gontijo.

Uma das principais intenções do novo restaurante é quebrar o colonialismo cultural, fugindo da ideia de só o que vem de fora é bom. Por isso, os produtos utilizados são locais, as receitas de raiz - que celebram o que é feito há séculos no interior do estado - e as técnicas e culturas caipiras, que envolvem hábitos e costumes que fazem a diferença no preparo da comida. Todos os pratos contam com ingrediente nativo do Cerrado ou produzido por algum de seus povos tradicionais: sertanejos, quilombolas, cooperativas, agricultores e agricultoras familiares.

A escolha do nome veio a partir de uma das ferramentas mais emblemáticas das cozinhas caipiras, mineiras e sertanejas. “O Tacho é símbolo de fartura, da alegria da celebração, da oralidade do entorno da comida e do ato de compartilhar o alimento. É esse o conceito do nosso restaurante, que pretende proporcionar uma bela experiência para o público”, completa a chef.

O espaço pretende abrigar atividades culturais que vão além dos sabores. O Tacho também abre as portas para o público participar de saraus, exposições fotográficas e outras atrações que valorizem a gastronomia.

Sobre o menu

Já na primeira espiada no cardápio é possível ser transportado para a memória dos almoços em família, o tempero da avó e hábitos da infância. Afinal, que mineiro que se preze nunca implorou pela raspa do angu, viu a cozinheira colocar cachaça no tutu ou achou incrível que uma folha teria gosto de peixe? 

Nomeado como “Caminhos do Cerrado”, o menu conta a história dos primeiros caminhos da chef Mariana Gontijo pelo Cerrado Mineiro e faz uma ligação entre a cidade de Belo Horizonte, a sua cidade natal Moema/MG e os demais povos do Cerrado em todo o Brasil.

As entradas dão o primeiro gostinho do que se trata a gastronomia caipira. É possível pedir o prato “Tripa Frita”, onde se come terrine de miúdos, tripas fritas e brotos com molhos e compota de jabuticaba. Outra opção é a “Quitanda”, com rosca caseira tostada na manteiga, coalhada seca, melado de cana e azeite; há ainda gamela de frios, coxinhas com creme verde de pequi e inhame, entre outros.

Como pratos principais, há opções para todos os gostos, incluindo uma receita vegana. O público pode escolher entre Peixinho na mentira, Refogado, Arroz de Galinha da Angola, Tutu Tonto com Leitão, Pé de porco recheado, Peixe de rio, releitura de tropeiro e outras alternativas.

Entre as opções de sobremesa, é possível escolher entre torta de chocolate mineiro com calda de tamarindo, sorvete de baunilha do cerrado, arroz doce vegano e uma degustação de doces feitos de ovos, como quindim, ambrosia, lambedor, fios de ovos e muito mais.

A mineiridade também está presente na carta de bebidas. Há cervejas especiais Verace, cachaças de Moema, Passa Quatro e Bom Despacho além de vinhos mineiros e um drink especial chamado de “Um brinde à Lagoinha”. Trata-se de uma caipirinha feita com cachaça de Moema e Cagaita, sendo uma homenagem da Chef à região da Lagoinha, onde nasceu a boemia Belorizontina, e às raízes do bairro Carlos Prates, onde se encontra o Restaurante.

 

SERVIÇO:

Restaurante O Tacho

Endereço: Rua Patrocínio, 01, Carlos Prates – Belo Horizonte

Funcionamento: quinta a sábado, das 19h às 00h

Domingo, das 12h às 16h

Mais informações:

(31) 3110-8802


Busca

Cadastre seu email

Receba novidades sobre a Raio-X